Paulo Afonso de Barros
preciosos segundos de paz...
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

Las guerras mientem...
Eduardo Hughes Galeano, nascido em Montevidéu - Uruguai, em 03.09.1940, onde veio a falecer em 13.04.2015, foi jornalista, escritor e um grande pensador.

Em vídeo, "La guerras mientem...", encontrado em https://www.youtube.com/watch?v=sunZmneQzQE, de pouco mais de dois minutos, ele faz uma reflexão sobre as mentiras das guerras e se refere às nações e pessoas que as retroalimentam.

A semeadura é livre e a colheita obrigatória, nesse período de Transição Planetária, de um mundo de expiação e provas para um novo tempo regeneração, de acordo com os ensinamentos da doutrina espírita, baseada nas obras de Allan Kardec, as derradeiras oportunidades estão sendo dadas a todos nós, filhos de Deus, almas que carregamos a Centelha Divina.

Usando de nosso livre arbítrio, façamos nossas escolhas nas comunidades onde estamos inseridos, independente de credos ou religiões que seguimos.

Não precisamos de muitas orações, melhor que sejam poucas, simples, breves, mas carregadas de todo o amor e carinho endereçadas aos milhões que passam fome, frio e sede diariamente em nosso planeta, os excluídos de toda ordem, os que não tem acesso a nenhum tipo de assistência médica, medicamentosa, social e material.

As energias densas que circulam em nosso planeta só tem um antídoto e uma receita básica, simples e ao mesmo tempo difícil de se colocar em prática, o amor.

Que os corações e mentes dos líderes das grandes nações, dos CEO's do conglomerados empresariais envolvidos na fabricação e comercialização de armas recebam essa chuva de vibrações de amor que os remetam à ética cósmica do equilíbrio, da fraternidade e que possam despertar para suas escolhas.

Não alimentemos pensamentos negativos de que não adianta, que o Brasil e o mundo não tem jeito, sim, tem, não temos opção melhor que não a de acreditar, manter a fé e a esperança e, se possível, ao deitar e ao acordar, agradeçamos a Deus de maneira simples, objetiva, carinhosa e peçamos para que o amor predomine.

Paz, luz, ternura, serenidade e amor ao próximo.
PABarros
Enviado por PABarros em 17/04/2018
Alterado em 17/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar o autor Paulo Afonso de Barros_São José dos Campos_SP). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários